Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Antes santificai a Cristo, como Senhor, nos vossos corações; e estai sempre preparados para responder, com mansidão e temor, a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós. 1 Pedro 3:15


Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.
E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.
Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.
Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;
O pão nosso de cada dia nos dá hoje;
E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;
E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.

Mateus 6:6-13

 

 

        João-Calvino-451-anos.jpg

"Pois, é dito em outro trecho, que em oração a Deus, não devemos usar um longo murmúrio, como aqueles que acreditam que por muito falar recebem muito mais, o que não implica que não devemos continuar em nossas orações, mas isto é tributar a hipocrisia e superstição dos que creem em romper os tímpanos de Deus (usando uma maneira de falar) para convencê-lo do que eles querem. Assim podemos ver, como essa tolice tem prevalecido no mundo! Mais uma vez, quantos existem entre nós que usam essa magia, como muitos que não dizem mais do que a sua Ave Maria, a quem parece que eles ganharam um grande acordo cada vez que eles dizem Oração do seu Senhor, e que Deus considerará todas as suas palavras em que eles se envolvem quando oram! Agora, eu chamo isso de uma verdadeira feitiçaria. Pois, eles miseravelmente profanam a oração que nos foi dada por nosso Senhor Jesus Cristo, na qual Ele incluiu em um breve resumo tudo o que podemos pedir a Deus e o que é lícito que desejemos ou peçamos."

 

Leia todo este artigo de João Calvino, em pdf, para download, aqui

 

 

Como disse o nosso Senhor Jesus Cristo, quando orarmos não devemos usar de vãs repetições, mas, ao mesmo tempo, parece que nos deixou uma oração para a irmos repetindo. Na verdade, a oração do Pai Nosso mais não é do que a base para a nossa relação com Deus.

 

Ele é o nosso pai celestial a quem tudo devemos, e antes de lhe pedirmos o que quer que seja, devemos ter a humildade de na qualidade de filhos, deixarmos a sua vontade prevalecer. Um pai nem sempre faz a vontade do filho, porque nem sempre o que o filho pede é o melhor para si mesmo.

 

Daí João Calvino usar termos como "superstição" e até mesmo "feitiçaria". Esse vídeo acima é um exemplo do que se passa nas missas, principalmente em funerais, em que se torna angustiante ouvir um coral de mulheres a repetir exaustivamente a oração da Ave Maria, como se Maria* fosse surda ou se ela atendesse as pessoas pelo cansaço. Isso é superstição pura, pois a relação com Deus, é de facto isso mesmo - uma relação.

 

É por estas e por outras que coloco em causa a seriedade-intelectual de muitos padres que alimentam não só a falácia do terço, como muitas outras práticas da Igreja Católica, pois eles mais do que ninguém, têm a obrigação de conhecer a Bíblia. Esse trecho do evangelho de Mateus, está na mesma Bíblia que o padre utiliza na missa. A Bíblia é só uma.

 

* - Um falso evangelho - os mitos católicos em torno da figura de Maria

 

E é também por estas coisas e muitas mais **, que sou da opinião que os 500 anos da reforma protestante (que se celebrarão no próximo dia 31 de Outubro de 2017) são um marco fundamental na história do cristianismo, pois temos hoje a liberdade de ler a Bíblia e de ter acesso a documentos de homens como Lutero ou Calvino, que fundamentaram e bem, as suas divergências com o catolicismo. No fundo, apenas se basearam na palavra de Deus. A mesma Bíblia que na missa é somente usada para ler uns pequenos trechos, quando ao mesmo tempo se ocultam outros.

 

**Leia também estes artigos: 

Sabia que qualquer um de nós pode ser um santo?

Idolatras

 

Nota: Quando iniciei a escrita deste artigo, a intenção era somente destacar a questão da oração, mas como me lembrei que estamos a poucos dias dos 500 anos da reforma, acabei por desenvolver ainda mais o artigo.

 

Mas, os dois próximos vídeos resumem muito bem o que esteve em causa há 500 anos atrás:

 

 

Recomendo:

 

35 livros de João Calvino para download

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:



Mais sobre mim


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.